Facebook | Contactos |
Newsletter
Newsletter

DANS LE RÔLE – QUANDO PROFISSIONAIS E UTENTES ARTISTAS SE JUNTAM

DANS LE RÔLE – QUANDO PROFISSIONAIS E UTENTES ARTISTAS SE JUNTAM

O Museu S. João de Deus inaugura no próximo dia 21 de novembro a exposição Dans le Rôle, fruto da parceria entre o projeto ExperimentAR.TE da Casa de Saúde do Telhal e a P28. Da pintura, ao vídeo, da escultura à instalação e à fotografia: há arte para ver de 14 autores que são artistas profissionais e artistas utentes. Sem distinção.

No papel: pode ser esta a tradução literal para uma exposição que se assume de combate ao estigma da saúde mental. Esta parceria artística permite trabalhar a inclusão social da saúde mental e também legitima o trabalho realizado no atelier de artes plásticas da Casa de Saúde do Telhal. Dans le Rôle, por tudo isto, não é só uma exposição de arte, mas também um projecto de responsabilidade social e cultural. O Museu S. João de Deus, a Casa de Saúde do Telhal, do Instituto S. João de Deus, e a P28 juntaram-se porque acreditam que a realização destas ações podem “desenhar uma valorização tanto social como artística destes artistas-utentes”.

Os artistas são Ana Rostron, Alfredo Mineiro, Fernando Azevedo, Luis Alegre, Joana BC, Orlando Franco, Pedro Calhau, Pedro Cabral Santo, Pedro Coelho, Sandra Baía, Susana Anágua, Tiago Batista, Vítor Teixeira e Vítor Manjua. O entusiasmo de todos é notório e o trabalho dos últimos meses tem sido árduo. Sandro Resende, o diretor artístico da exposição e responsável da P28, a par com Maria João Moreira, responsável do projeto ExperimentAR.TE, tem acompanhado de perto esta ligação entre utentes da Casa de Saúde do Telhal e os artistas profissionais. Sandra Baía, uma das artistas, assegura que quando surgiu este convite se abriu “um novo caminho para os pensamentos, crenças, valores e emoções”. Acrescenta até que na exposição Dans le Rôle “estão criadas condições para a representação de diferentes diálogos que são inevitavelmente representados no trabalho e no espaço”. Alfredo Mineiro, outro dos artistas, levanta um pouco o véu daquilo que vai expor e diz que “o trabalho concebido para esta exposição procura a expressão daquilo que projeta o artista no trabalho em materiais lisos ou volumétricos e em vários suportes: papel, cartão, tela ou outros”. Pedro Cabral também fala um pouco da videoinstalação que traz à exposição e descortina que, na sua peça, “se por um lado, se enaltece o glamour e a exasperação, por outro emana-se a dor e a solidão, procurando-se assim a estranheza do que se afigura como próprio do Humano”. Pedro Coelho, outro dos 14 artistas, confessa que “esta exposição vem no culminar de vários anos a fazer arte com o vídeo e a fotografia”.

Vai haver de facto muito para ver nesta exposição que inaugura no dia 21 de novembro às 18 horas no Museu S. João de Deus. Vai estar em exibição até ao dia 31 de janeiro e pode ser visitada gratuitamente de segunda a sexta das 09 às 17 horas. Nos fins de semana e feriados a exposição pode ser visitada com marcação prévia.

 

yoast seo premium free